"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

quinta-feira, 27 de março de 2008

E EIS QUE, VINDA DO NADA...

Cats and dogs are coming down
14th street is gonna drown
Everyone else rushing round
I've got "Blonde on Blonde"
On my portable stereo
It's a lullabye
From a giant golden radio


Como adepto confesso do melhor power pop, não tinha com os Nada Surf uma relação particularmente afectuosa. Ainda assim, sempre considerei a sua canção mais popular (precisamente "Popular", de 1996) um hino digno de constar entre o melhor da década passada. Como já terão reparado pelo pretérito imperfeito do verbo ter na primeira frase, entretanto o caso mudou de figura.
Depois de inúmeras referências elogiosas a estes nova-iorquinos em blogues amigos, decidi dar-lhes uma nova oportunidade. E eis que, durante uma das várias incursões pelo universo nada-surfiano, se dá aquele clique capaz de transformar a indiferença em devoção. Responsável por tal feito foi uma cançãozita muito simples, semi-balada, semi-acústica, que vem em Let Go (Barsuk, 2002), segundo os "especialistas" o seu melhor disco e, em breve, parte integrante da minha relação de bens. Além de muito bonita, é também uma humilde homenagem a um dos discos históricos de uma certa lenda viva, com o qual partilha o título. Ei-la:



Agora que já degustaram esta pequena pérola, sugiro-lhes ainda uma visita ao sítio oficial da banda, um dos mais bonitos e originais que vi em tempos recentes. Quem já tenho desfrutado dos prazeres da vida no campo, no Verão e à noite, ir-me-á entender perfeitamente.

5 comentários:

eduardo disse...

Mais um convertido!

Red Dust disse...

Só tenho um disco dos Nada Surf, 'High / Low', precisamente o que contém 'Popular'. Um bom disco, mas sem nada de muito novo a acrescentar.

Depois como que lhes perdi o rasto, por não ter sido uma banda que me tenha deixado entusiasmado.

Apesar de tudo, os vários discos editados até que nem têm sido mal recebidos pela crítica.

Abraço.

Fábio Jesus disse...

Dei uma ouvidela pelo último álbum deles e não me impressionou grandemente, ainda que também me confesse um admirador das virtudes de "Popular".

"Unless he's a real jerk or a cry-baby, you'll remain friends!"

eduardo disse...

Ouçam o "Let Go" e percebam a razão pela qual uns quantos tripeiros rumaram a Vigo para os ver.
Todos os discos são bons mas este é sem dúvida o melhor.

judas disse...

É difícil escolher entre o Let Go e o Proximity Effect, mas acho que me inclino mais para o segundo. Tem a hyperspace e a firecracker :)

Red Dust: acho que todos lhes perdemos o rasto durante uns 5 anos. Eu só o reencontrei há uns meses largos, e curiosamente depois surgiu o concerto em Vigo :) :) :)