"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Em escuta #33
















THE WALKMEN
You & Me [Gigantic, 2007]

Gostando-se ou não, ninguém pode retirar aos The Walkmen o mérito de soarem como nenhuma outra banda no panorama actual. Tivesse o quinteto nova-iorquino enveredado por qualquer uma das "tendências" recentes, e poderia já ter conquistado um maior número de adeptos. Isso significaria, no entanto, a perda da identidade de uma das mais carismáticas e honestas bandas nascidas nesta década, que a cada dois anos já habituou os escassos - mas devotos - seguidores a um novo e excelso álbum.
You & Me é já o quarto longa-duração, e embora não seja uma descaracterização daquilo que lhes conhecíamos, mostra uns The Walkmen apostados em romper com o passado recente, marcado pelo poder de explosão de Bows + Arrows (2004) e pelas derivações dylanescas de A Hundred Miles Off (2006). Por conseguinte, este novo disco, poderá ser entendido como um retomar da contenção formal do longínquo Everyone Who Pretended to Like Me Is Gone (2002), executado por uma banda cada vez mais experiente e mais confiante nas suas potencilaidades. Significa pois, que durante a audição de You & Me é muitas vezes sugerida a imagem de um fim de noite passado no bar de um hotel para losers. As melodias são sustentadas pelo órgão omnipresente e pela bateria, contida mas certeira, muitas vezes tocada com vassouras. Neste clima de paz aparente, as investidas das guitarras cortantes e da voz expressiva de Hamilton Leithauser conferem um dramatismo quase violento.
Em termos líricos, o disco tem como linha condutora a temática das viagens, evidenciada desde logo no título de muitas das canções ("Dónde Está La Playa", "Seven Years Of Holidays", "Postcards From Tiny Islands", "Canadian Girl", "New Country"), entrevendo-se na personagem encarnada pelo vocalista uma espécie de turista emocional, alguém que está em constante fuga, do mundo em redor e de si próprio.
Como já terá dado para perceber, You & Me não é um disco de fácil digestão. Contudo, com alguma perserverança, pode até criar dependência em ouvidos menos treinados. Sem querer particularizar dentro de uma obra que vale pelo seu todo, não poderia deixar de destacar "The Blue Route", "If Only It Were True", e "On The Water" como algumas das melhores canções do corrente ano. Sobretudo esta última:


6 comentários:

neulock disse...

http://www.ticketmaster.nl/html/evinfo.htmI?CNTX=2541793&l=NL&C=&QUANTITY=1

pq e q nao das ca um salto?
tens um voo q chega as 18:30h.
:)

Lídia disse...

Do pouco que ouvi do álbum, gostei muito da "In The New Year".

um beijo

M.A. disse...

Neulock:

A proposta até era tentadora, mas esse é justamente o dia em que os Lemonheads tocam cá. Já estive a espreitar o preço dos bilhetes. Incrível! Cá era coisa para ir aos € 20.

Lídia:

Também é uma excelente faixa, sim senhora! Mas tens de ouvir o resto. Este, talvez seja o disco mais coerente dos Walkmen.

Beijos&Abraços

extravaganza disse...

Será o Neulock o rapaz do Paradiso??? :))) Olha que não me esqueci do convite!!! Beijinhos!

Ó M.A., desculpa estar a usar-te como pombo correio. E estou-te a dever um telefonema... Beijinhos para ti. :)

strange quark disse...

A música que tenho ouvido também é a "In the New Year" que acho fantástica. A minha dúvida era saber se o álbum correspondia, e pelo vistos corresponde.

neulock disse...

http://www.fabchannel.com/the_walkmen_concert/

WAKE UP