"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Ao vivo #25

The Mary Onettes @ MusicBox, 29/09/2008

Nos últimos anos, a Suécia tem sido terreno fértil para a proliferação de bandas que fazem da evocação das memórias pop o seu modus operandi. Aos Mary Onettes é reconhecida a forma hábil com que conjugam os ecos de algum cinzentismo de oitentas (Echo & The Bunnymen, The Cure, e até Joy Division) com alguns sons mais leves, que nos fazem lembrar os noruegueses a-ha. Para que conste, daí resulta uma linguagem muito própria, longe do mero pastiche.
Ao vivo, expandidos a um simpático quinteto, os Mary Onettes são extremamente competentes na forma como executam estas canções escorreitas, às quais não acrescentam nem retiram uma vírgula que seja, proporcionando ao público conhecedor um bom pedaço de serão, sem grandes sobressaltos.
Atendendo às características do espectáculo, e ao facto de se realizar numa segunda-feira, nota positiva também para a organização, pelo pequeno desvio (perfeitamente aceitável) à hora marcada para o início do concerto, e para o público, que acorreu em número considerável.
Parabéns undergravers!

4 comentários:

rita maria josefina disse...

eh obrigada outra vez :)
assino por baixo em tudo o que escreveste sobre a banda, embora possa parecer sempre suspeita....

Bjzz

Kraak disse...

E eu também digo o mesmo, M.A.! Obrigado pela review! O concerto foi muito bom (opinião isenta)! Fico satisfeito que tenhas gostado! :D

Hugzzz!

aBell Montenegro disse...

Parece que o concerto foi melhor n´"O meu Mercedes..."(opinião suspeita).Vamos aguardar o que mais terá esta banda para nos dar. Não conhecia o teu blog, muito actual e já foi direitinho para os meus favoritos.Obrigado M.A., pelo teu comentário que foi muito útil.

O Puto disse...

Eu gostei muito do concerto cá no Porto. Parabéns à dupla da produção, bem como ao Mercedes e o seu excelente som.