"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

E eis que é chegada a hora de desligar a televisão...
















Chegou hoje às lojas Dear Science, o terceiro álbum dos nova-iorquinos TV on the Radio (TVOTR), banda que, há coisa de cinco anos, foi responsável por um momento de epifania com o EP Young Liars.
No ano seguinte, estreavam-se em formato longo com Desperate Youth, Blood Thirsty Babes, um excelente disco que não ocultava algum desequilíbrio. O subsequente - e aclamado - Return To Cookie Mountain (2006) abriria portas a uma audiência mais vasta. Inicialmente semi-desiludido com este disco, dei-lhe inúmeras oportunidades em audições repetidas, sempre na esperança de um clique súbito. Porém, com o tempo, passei a olhar para Return... como uma unidade hermética causadora de algum enfado.
No novo álbum, reconhece-se aos TVOTR a vontade de dar o passo em frente. De facto, Dear Science é bastante diferente do seu antecessor: mais arejado, mais "pigmentado", e também mais ecléctico. No entanto, falta a estes onze temas o golpe de asa capaz de me arrebatar. Noto até algumas cedências por parte dos TVOTR aos ditames da "moda", quando costumava acontecer o inverso. A excepção é "Crying", um excelente tema em que o funk dita leis. Das mesmas ferramentas se serve, com resultados bem diferentes, "Golden Age" (que parece ter pilhado a secção rítmica de "Fools Gold" dos Stone Roses), o tema que serviu de cartão de visita a esta obra algo desinspirada.
Na presente data, a totalidade das faixas de Dear Science estão em streaming no MySpace. Oiçam e tirem as vossas conclusões.

4 comentários:

Fábio Jesus disse...

Defendo o 'Return' com unhas e dentes mas este, pelo que ouvi até agora, é mesmo uma desilusão.

Abraço

strange quark disse...

Fui lá dar uma espreitadela, ouvi a maior parte do álbum e confirmei o que o single de avanço já me fazia suspeitar, e que caracterizas bem no post. Para quê dizer mais. Já o "Return to Cookie Mountain" mantém-se para mim como um grande álbum, mas continuo a ser um ignorante dos seus primeiros trabalhos.

rita maria josefina disse...

Eu gosto bastante! So far... muito mais do que do Return..

M.A. disse...

... parece que este disco está mesmo a dividir opiniões.
Em boa verdade, nem gosto nem mais nem menos do que do "Return". Cada um à sua maneira foi uma desilusão.

Rita: 2.ª feira 'tamos lá para as 'marionetas' :)

B&A