"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Mercúrio a subir

Mais de três anos depois do frouxo The Secret Migration, os Mercury Rev estão de volta aos discos, não com um, mas sim dois álbuns de originais: a 29 de Setembro sai para as lojas Snowflake Midnight, no mesmo dia em que Strange Attractor é disponibilizado para download gratuito no sítio oficial da banda desde há muito fixada nas Catskill Mountains, estado de Nova Iorque.
Jonathan Donahue e Grasshoper, os dois principais instigadores, descrevem o "disco convencional" (uma vez mais produzido por Dave Fridmann) como algo de inocente, intuitivo, mas simultaneamente perigoso e apaixonado, revelador das forças de simetria e do caos que comandam a Vida. Considerações metafísicas à parte, de palpável, para já, temos "Senses On Fire", o primeiro tema divulgado deste novo disco: exercício kraut que faz a ponte entre os devaneios sónicos dos primeiros tempos e os ambientes pastorais abordados do soberbo Deserter's Songs (1998) em diante. É com algum regozijo e muita expectativa que vos apresento o melhor pedaço de música da história recente dos Mercury Rev. Ready or not, here I come:



P.S.: A 29 de Novembro próximo, os Mercury Rev "aterram" na Aula Magna da UL, naquele que será o encerramento da sua digressão europeia. Perspectiva-se a reedição de um dos melhores concertos da minha vida...

2 comentários:

Miss C. disse...

E acabei de ler no MySpace quem vêm à Aula Magna no dia 29 de Novembro!!!!

Yupiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!

Talvez seja difícil superar o concerto que deram no Paradise Garage mas, não quero saber, lá estarei!!!

Shumway disse...

Promete...

Abraço