"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

terça-feira, 16 de outubro de 2007

DISCOS PE(R)DIDOS #15

TEENAGE FANCLUB
Bandwagonesque (Creation, 1991)

Quando editaram o seu primeiro álbum (A Catholic Education) em 1990, os escoceses TEENAGE FANCLUB agradaram de tal forma a Alan McGee que, este teve de arranjar uma forma de os levar para a sua Creation. Para isso foi necessário engendrar uma artimanha que os libertasse do acordo já estabelecido com a Matador Records (e através desta com a multinacional Geffen). Assim, deram aos executivos americanos o semi-álbum The King, quando a obra-prima Bandwagonesque estava já gravada e destinada a ser a primeira de várias edições pela Creation.
Num período em que um certo rock sónico começava a colher dividendos do outro lado do Atlântico, os Fannies fazem aqui a revisão de Daydream Nation à luz dos alquimistas pop que sempre os nortearam: The Beatles, The Byrds e Big Star. Não espanta pois que, as tarefas da produção tenham sido entregues a Don Fleming, que ainda recentemente tinha exercido iguais funções em Goo dos Sonic Youth.
Apesar da coesão e homogeneidade patenteadas ao longo de todo o disco, a roçar a perfeição, os créditos da composição (e as vozes) são divididos pelo triunvirato Norman Blake-Raymond McGinley-Gerard Love, com alguma predominância do primeiro. Do todo sobressaem os temas que foram escolhidos para single:
- "The Concept", hino romântico e nostálgico ao binómio concertos/miúdas a abrir o disco, como uma espécie de "Teen Age Riot" delicodoce que se prolonga por seis prazenteiros minutos;
- "What You Do To Me", dois minutos bastam para fazer uma belíssima power-pop-love-song cuja letra é o expoente máximo da simplicidade ("What you do to me.../I know, I can't believe/There's something about you/Got me down on my knees");
- "Star Sign", pérola power-pop por execelência que não fica imune às infecções shoegazing.
Criando um som próprio a partir da combinação das diversas influências, os Teenage Fanclub, como amantes de boa música que são, têm uma demonstração de humildade e agradecimento ao incluir no inlay de Bandwagonesque as palavras iniciais do magistral Third dos Big Star: "Thank you friends, wouldn't be here if it wasn't for you".
Um dos maiores tesouros do melhor ano de produção musical das duas últimas décadas está aqui.

7 comentários:

O Puto disse...

Grande disco! Uma das 3 obras-primas editadas pela Creation nesse ano. Os outros foram, obviamente, "Screamadelica" e "Loveless".

Shumway disse...

Clássico absoluto.
3 grandes "songwriters".

P.S.: Mais um roubo :)

Abraço

M.A. disse...

Puto:
Pesei que tb incluías o "Just for a day" na categoria das obras-primas... :)

Shumway:
Esta é uma daquelas bandas das quais nunca me consigo decidir pelo preferido. Por isso, é normal que um dia destes o "Grand Prix" também tenha o merecido destaque.
Se te quiseres antecipar, pode ser a tua vingança :)

Abraços

O Puto disse...

O "Souvlaki" é que é uma obra-prima.

eduardo disse...

e o "Against Perfection" dos Adorable? ou o "Raise" dos Swervedriver? a meu ver são igualmente grandes discos da Creation mas se calhar o melhor mesmo é o "Nowhere" dos Ride.

M.A. disse...

O "Nowhere" foi, à data da sua edição, o disco da Creation que maior impacto teve em mim e é um dos discos da minha vida. Mas acho que o Puto se referia apenas a discos de '91, e o "Nowhere" é de '90.

Clara disse...

Às vezes há coincidências destas...
Ainda não tinha tido tempo de to dizer aqui mas, no dia em que escreveste este post, quando vim visitar o teu estaminé, era este o disco que tinha a tocar.

Começo a desconfiar que andaste a ocultar a todos os teus amigos que tens capacidades extra-sensoriais...

:-)