"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Em escuta #40










BOSTON SPACESHIPS The Planets Are Blasted [Guided by Voices Inc., 2009]

Desde que extingui a instituição Guided by Voices em finais de 2004, Robert Pollard aproveitou para editar em nome próprio todos os esboços de canções que tinha na gaveta. Cedendo a um impulso gregário, surge agora à frente do power-trio Boston Spaceships, no qual continua a dar vazão a uma produtividade singular - este é já o segundo álbum no espaço de meio ano! A pretexto de mais uma prova de adoração aos The Who, e com um inesperado cuidado na produção, oferece-nos o melhor conjunto de canções desde Earthquake Glue (2003), com a habitual fixação por UFOs e entidades místicas. Os temas, invariavelmente curtos e rasgadinhos, poderão satisfazer as necessidades dos saudosistas de uns R.E.M. de outras eras. [8]


THE PHANTOM BAND Checkmate Savage [Chemikal Underground, 2009]

Escassos segundos de escuta desta obra inaugural são o bastante para percebermos a filiação kraut deste sexteto escocês. Mais à frente, reconhecemos tanto o apuro melódico dos The Delgados, como o traço insano da Beta Band. Lembrar também a frieza distante dos Wire de 154 não é de todo descabido. Conjugados, estes ingredientes fazem de Checkmate Savage um daqueles discos inclassificáveis, em que cada audição revela um novo detalhe. As atmosferas criadas variam entre a melancolia gélida e a beleza enigmática. [8,5]


CYMBALS EAT GUITARS Why There Are Mountains [edição de autor, 2009]

"And The Hazy Sea", o soberbo tema de abertura de Mountains, coloca a devastação emocional dos Built to Spill na montanha russa: são seis minutos de constante alternância entre crescendos e momentos planantes. No que se segue, a bipolaridade do vocalista, ora confessional, ora possesso, qual Isaac Brock em crise de ansiedade, mantém a intensidade dramática em alta. Musicalmente, cada tema constitui uma estrutura complexa e pouco comum para os cânones rock. De Nova Iorque, e nos tempos que correm, estes são sons completamente inesperados. Talvez por isso, os Cymbals Eat Guitars (nome algo tolo) não tenham qualquer contrato discográfico assinado. Mas palpita-me que esta situação se vai alterar em breve... [8,5]

3 comentários:

hg disse...

Concordo quando dizes, a respeito dos Phantom Band, de que cada audição revela um novo detalhe. Das vezes que já ouvi o disco, este pareceu-me sempre algo completamente diferente daquilo que tinha ouvido antes. Como se fosse outra banda. Ainda hoje não sei que pensar do disco. Nem sequer perceber se gosto ou não.
Os Cymbal Eat Guitars gosto e desconhecia que uma banda assim tão interessante estivesse sem editora.
Quanto aos Boston Spaceships... nunca fui fã dos Guided By Voices (podes bater à vontade pois já muitos amigos o fizeram antes) :)

Shumway disse...

Duas excelentes propostas para 2009: primeiro os Phantom Band (para mim possivel Top 10)
e agora os Cymbal Eat Guitars

Abraço

Pedro Carvalho disse...

gosto dos cymbals e especialmente dos PHANTOM BAND; fiquei um bocado enjoado com o anterior dos Boston Spaceships, por isso este está ainda a aguardar. Mas neste momento não há tempo nem vontade para ouvir mais que o Primary Colors dos Horrors que é SOBERBISSIMO!!
abraço,