"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

sábado, 17 de outubro de 2009

Será que a Nadia aprova?















Foto: Holy Lucas

Já aqui fiz várias referências às interessantes actividades levadas a cabo no underground musical britânico, contrastantes com o marasmo que se vive na produção mais mediática. Hoje, para acrescentar ao rol de bandas anteriormente apresentadas, gostava de vos falar do Comanechi, um duo anglo-nipónico com quartel-general em Londres e que, em certa medida, é solução para as saudades dos Yeah Yeah Yeahs dos primórdios. Com efeito, a dupla usa como armas uma atitude punk desempoeirada e uma série de riffs contunentes que os Black Sabbath não desdenhariam. Refira-se ainda que, a menina Akiko Matsuura, normalmente vista em palco com os mui celebrados The Big Pink, tem uma verborreia capaz de ombrear com uma Karen O mais cachopa. Por enquanto, as edições resumem-se a alguns discos de pequeno formato e escassa tiragem que têm merecido o alto patrocínio das lojas Rough Trade. Lá mais para o fim o do ano prestam-se à prova de fogo com Crime Of Love, álbum com selo da Merok Records, propriedade de um dos elementos dos referidos Big Pink.

http://www.myspace.com/comanechi

2 comentários:

eduardo disse...

gostei do que ouvi.

ruicarvalho disse...

SÓ CONHECI ESTE ANO OS comanecHi....
PARABÉNS AMDAS SEMPRE MUITO BEM INFORMADO, E JÁ AGORA OS health TAMBÉM
ando atrasado...
um abraço