"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Lights & Music















Aquando da primeira passagem pelo planeta, em inícios da década de 1980, os Mission of Burma (MoB) foram porta-estandartes do espírito reinante no período post-punk em solo norte-americano. Um pouco à semelhança dos Wire e dos Gang of Four do lado de cá do Atlântico, esta banda de Boston imprimiu às premissas rebeldes inerentes ao punk um ambicioso sentido artístico. Cessaram funções, sem glória, em 1983, deixando gravados apenas um EP e um álbum. Contudo, esta escassa obra viria a reverlar-se extremamente influente na facção mais desalinhada do rock made in USA de então para cá. Desde o reaparecimento em 2002, e desde a passada semana, contam já com três discos de longa-duração no currículo. Com a marca do produtor Bob Weston (dos Shellac e agora também o "quarto" MoB) patente na clareza com que cada instrumento é captado, a audição de The Sound The Speed The Light transporta-nos quase fisicamente para o estúdio. Composto por quatro suites de três temas cada - não, os MoB ainda não se renderam ao progressivo -, o disco alterna momentos da típica rispidez directa com outros de maior acalmia. Nesta última vertente, fica evidente um aprumo técnico apreendido em décdas de experiência. Concluindo, diria que The Sound... poderá não exibir a aura de inovação dos primeiros trabalhos dos MoB. No entanto, tem garra suficiente para causar a inveja de muitos neófitos.

http://www.myspace.com/missionofburma

2 comentários:

eduardo disse...

Ainda não ouvi mas os MOB são incapazes de criar um mau disco.

Victor Afonso disse...

O último disco deste projecto está muito bom.