"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

10 ANOS É MUITO TEMPO #3

















NEUTRAL MILK HOTEL
In The Aeroplane Over The Sea

(Merge, 1998)

Será hoje um facto inegável que este é um dos discos mais influentes dos últimos anos. Em 2003, na edição comemorativa do seu 10.º aniversário, a revista Magnet considerava-o até o mais importante disco lançado desde o seu nascimento, à frente de obras do calibre de OK Computer, In Utero, If You're Feeling Sinister, ou Alien Lanes.
O mais curioso no meio de tudo isto é que, dez anos volvidos desde a sua edição original, aquele que foi um disco inicialmente ignorado pelo público, é hoje referido por um número crescente de pessoas, sejam elas músicos, críticos, ou simples consumidores.
Sobre este magnum opus (perceberam o trocadilho?) já aqui dissertei há uns tempos. Por ora, como ilustração, deixo o vídeo não-oficial de um dos seus temas. Aviso que algumas das imagens poderão chocar os mais susceptíveis.

"Holland, 1945"

7 comentários:

Fábio Jesus disse...

Ahhh, não há palavras que descrevam o meu amor por este álbum. É pena, mesmo, que tenha sido o último.

Abraço

Lídia Gomes disse...

Parece que isto é uma paixão pornografa mesmo. Será provavelmente a minha medalha de prata naquela lista de álbuns de uma vida. E a sério, não estou a exagerar.

Btw...belo trocadilho.

Beijo

M.A. disse...

Já agora, a quem coube a medalha de ouro? :)

lídia gomes disse...

É uma coisa muito pouco surpreendente. Previsível mesmo. Mas por tudo o que representou na construção da minha "estante" terei de apontar o Ok Computer.

Kraak disse...

Este disco é simplesmente o disco da minha vida! :))

Shumway disse...

Apenas posso repetir o que disse na altura do teu primeiro post sobre este disco:

Quando o mundo acordar, "In the Aeroplane Over the Sea" será somente um dos melhores discos da decada de 90.

Abraço

Joe disse...

Mai nada.
Dizer que é um dos discos da minha vida será exagero, mas é um disco fenomenal. Mais um dos tantos discos onde eu cheguei bastante tarde, e a que muita gente ainda não chegou. Mas com jeitinho e posts como este, a coisa vai-se compondo :)
Abraço