"Please don't think of us as an 'indie band' as it was never meant to be a genre, and anyway we are far too outward looking for that sad tag." - Stephen Pastel

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

R.I.P.

FRÉDÉRIC CHICHIN
1954-2007

Morreu hoje, vítima de cancro, FRED CHICHIN, uma das metades, juntamente com Catherine Ringer, da banda francesa LES RITA MITSOUKO (LRM).
Nascidos em pleno período pós-punk, os LRM foram, ao longo de quase três décadas o mais original projecto musical nascido em terras gaulesas, tanto por força de uma notória componente teatral proveniente da background do duo, como do caldeirão de influências que misturavam de forma peculiar (pop, música latina, jazz, hip hop, música de dança, chanson...). Apesar de fazerem uso da língua francesa (com pontuais cedências ao inglês), tiveram um considerável acolhimento além-fronteiras.
Na sequência da boa recepção ao disco de estreia homónimo de 1984, do qual foi extraído o popular single "Marcia Baïla", o grupo deu asas à ambição requisitando os serviços do lendário Tony Visconti para produzir os dois álbuns seguintes: The No Comprendo (1986) e Marc et Robert (1988). Do processo de gravação do primeiro resultaria o documentário Soigne Ta Droite, dirigido por Jean-Luc Godard. No segundo, contaram com a colaboração da dupla norte-americana Sparks, óbvios instigadores da bizarria dos LRM. São também notáveis os videoclips desta era, na sua maioria da responsabilidade de Jean-Baptiste Mondino, e muito à frente da generalidade da produção anglo-saxónica.
Depois de Système D (1993), em que participa Iggy Pop, os discos de originais dos LRM começaram a rarear. Mas isso não os impediu de, ainda este ano, terem lançado Variéty.
Os últimos concertos de promoção a este derradeiro disco, por vontade de um moribundo Fred Chichin, não foram cancelados. Foram por isso, ao fim de 27 anos, os únicos em que Catherine Ringer subiu ao palco sem o companheiro de longa data.

1 comentário:

Kraak/Peixinho disse...

Olha! Que pena. Não sabia. :( Eu gostava bastante dos Les Rita Mitsouko. Tenho que ir recuperar os CDs que tenho deles pois já há mesmo muito tempo que não os vejo pela minha aparelhagem.

Hugzz